Os segredos da felicidade Vida Sim

O renomado Erth Institute, da Universidade de Columbia, elaborou uma pesquisa para ser apresentada durante uma Conferência das Nações Unidas (Título original da pesquisa: World Happiness Report).

A pesquisa analisou diversos locais, como EUA, países da União Europeia, Suíça, Rússia, Europa Oriental e América Latina, em busca de questões que interferem no maior nível de satisfação das pessoas e motivos comuns que geram tristezas e frustações.

Listamos um breve resumo dos temas abordados. Confira os principais pontos apresentados no estudo:

A riqueza financeira é um fator geral para a felicidade, mas fatores como a liberdade individual, apoio social e ausência de corrupção se mostraram até mais importantes que a riqueza.

O desemprego reduz o nível de felicidade, mas o principal motivo não é o dinheiro.
A perda da autoestima, a interferência na vida social e o sentimento de inutilidade gerado pelo desemprego são os principais pontos relatados. O estudo apontou ainda que os empregos com baixa qualidade não exercem tanta interferência na felicidade como os demais pontos.

Uma grande surpresa revelada nos estudos é que o aumento do padrão de vida não corresponde ao aumente da felicidade em todos os países. Nos EUA, por exemplo, o estudo revelou que os níveis de felicidade da população mantiveram estagnados nos últimos 50 anos, mesmo nos casos de aumento dos padrões de vida.

A estabilidade da vida familiar contribui para o aumento da felicidade em todos os países analisados. Segundo dados da pesquisa, as pessoas casadas garantem que são mais felizes.


Veja outras opiniões, conte a sua também:


Veja também:


Matérias Relacionadas