Brasileiros criam método capaz de filtrar água do mar Vida Sim

Pesquisadores do Departamento de Química da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP de Ribeirão Preto (FFCLRP) desenvolveram um filtro capaz de separar o sal da água do mar. O nanofiltro desenvolvido é uma membrana semipermeável, constituída de folhas de polímeros, com poros minúsculos correspondentes ao tamanho de moléculas de água e gás carbônico (10-10 metros).

São estes minúsculos poros que retém o sal na filtragem. “Para fazer os poros, incluímos uma casse de moléculas conhecidas como ‘cavitandos’ na matriz do polímero. Esses cavitandos são estruturas com uma cavidade central que permitem o trânsito de moléculas pequenas como a água e seus lumens. Na filtragem da água do mar, o sal fica retido nessas estruturas”, explica o professor do Departamento de Química da FFCLRP, Gregóire Jean-François Demets.

De acordo com os pesquisadores, a membrana pode ser fabricada com três tipos diferentes de polímeros: o Poliuretano (PU), o Fluoreto de Polivinilideo (PVDF) ou o Policloreto de Vinila (PVC), plásticos com propriedades mais flexíveis. A filtragem da água por meio desse processo é mais simples e barata, pois não há necessidade de trocas de fase para remoção da água, nem dependência de equipamentos externos auxiliares, como aquecedores, condensadores e evaporadores.

Além do uso de dessanilização, a membrana tem outras aplicações, como purificador de gases ou no tratamento de peles queimadas. Apesar de não terem sidos realizados testes com a membrana no cuidado de pele queimada, o professor Demets ressalta o potencial da membrana para esta aplicação. “Ela garante a troca gasosa no processo de regeneração, impede a entrada de bactérias e fungos e a perda de grandes quantidades de água, comum em pessoas com grandes queimaduras”.

Os nanofiltros, além de ter baixo custo de produção, são laváveis, recicláveis, flexíveis e resistentes a produtos químicos.

Os procedimentos para registro da patente já foram realizados pela Agência de Inovação da USP, e em breve estará disponível para parcerias e licenciamento, desenvolvimento industrial e comercialização.


Veja outras opiniões, conte a sua também:


Veja também:


Matérias Relacionadas