7 dicas para abrir um negócio depois dos 40 Vida Sim

Os índices de empreendedores não para de crescer no Brasil. Segundo os últimos levantamentos realizados pelo Global Entrepreneurship Monitor, quase 50% dos brasileiros estão interessados em abrir um negócio próprio. Entre os que já possuem uma pequena empresa, 48% estão na faixa etária entre 35 e 64 anos. Empreender virou uma nova alternativa para a aposentadoria.

O estudo revelou que 27% dos empreendedores brasileiros iniciaram os negócios entre os 35 e 44 anos. Para os especialistas, este pode ser o momento Idea para empreender. “O que muda do jovem para quem tem mais de 40 é o propósito do negócio”, explica Marcelo Nakagawa, diretor do Centro de Empreendedorismo e Inovação do Insper.

Nakagawa complementa que, grande parte dos empreendedores que abrem uma empresa depois dos 40 anos busca um novo sentido para a carreira. “Tem uma geração de executivos buscando significado, querendo conciliar competência profissional com propósito devida. Ele já teve experiência, conhece o mercado e tem uma rede de contatos bem estabelecida. Esse tipo de negócio tende a ser mais bem sucedido”, diz.

Em grande parte, a chave para o sucesso do empreendedor vêm de suas experiências anteriores. ”Essa fatia dos 35 aos 65 anos está com um crescimento muito grande. Já tem experiência como consumidor e viu problemas que o levam a empreender. Sabe onde não está sendo bem atendido e pode suprir essa carência no mercado. É a grande vantagem”, comenta João Bonomo, professor de empreendedorismo do IBMEC-MG.

1 – Arrisque sem medo

Os professores afirmam que, pensando em executivos, uma situação financeira confortável pode representar um bom começo para os negócios. “Geralmente, são pessoas que têm condições de fazer investimento, já sabem dos seus limites.

Tem uma vida mais estabilizada e sabem quanto investir em cada etapa. Não é ter muito dinheiro, é saber lidar com isso de forma profissional”, orienta Bonomo.

Bonamo ainda adverte que, este pode ser o momento ideal de arriscar-se, mas sem ignorar um bom plano de negócios.

2 – Encontre bons sócios

Complementar as experiências e conhecimentos é uma opção vantajosa na hora de iniciar um negócio. Por isso, Nakagawa recomenda procurar um bom sócio. “Normalmente, tem que ter alguém que faz e alguém que vende. Se você fizer os dois, isso vai consumir todo o tempo. Essa questão é um ponto importante”, justifica Nakagawa.

3 – Aceite as mudanças

Apesar da segurança financeira encontrada neste perfil de investidores, muitos são intolerantes a mudanças. “O mundo empresarial muda constantemente e eles não querem inovar muito. Querem abrir uma loja do mesmo jeito que há dez anos”, comenta Bonomo.

Outro inconveniente, segundo ele, diz respeito à tecnologia. “A tecnologia é muito intensa e muda a cada dia. Eles precisam afinar um pouco melhor esse conhecimento”, complementa.

4 – Controle os custos

Em cargos executivos, alguns dos novos empreendedores estavam habituados a mordomias, como reembolsos e motoristas.

Nakagawa alerta que, ao empreender, é preciso aprender a ter uma “vida mais espartana”.

“Muitos executivos se incomodam quando perdem o nome da empresa antiga e precisam explicar quem são. Como empresário, deve ter a preocupação de ter custos mais espartanos. Não vai ter a mesma cadeira ou computador, nem o carro da empresa”, comenta.

5 – Utilize seu conhecimento

Aplicar o conhecimento e experiência da carreira, no novo negócio, é o grande trunfo dos empreendedores com mais de 40 anos. Por isso, professores orientam a escolher um negócio de uma área que domine. “As falências de empresas de pessoas dessa idade é menor. Isso denota que elas já têm algum tipo de experiência gerencial”, explica Bonomo.

6 – Procure orientação

O Networking é fundamental. “É se encontrar com outros empreendedores e ter mentores, que vão estar olhando a empresa de fora. É importante ter humildade e assumir que não sabe tudo e, mesmo que souber, ouvir uma segunda opinião”, alerta Nakagawa.

7 – Organize-se

Aprender a lidar com novas rotinas e uma equipe diferente é muito importante para o negócio. “A questão de aprender a lidar com vida pessoal e profissional e distribuição de tempo merece cuidado”, explica Nakagawa. Para ajudar nessa tarefa, é importante criar uma planilha de tempo, e acrescentar quanto tempo é consumido em cada atividade.

Bonomo explica que é importante supervisionar conflitos entre colaboradores. “Normalmente, são pessoas com experiência de mercado e não toleram a existência de problemas internos”, diz. Bonomo completa ainda que, é muito importante saber ouvir novas idéias.


Veja outras opiniões, conte a sua também:


Veja também:


Matérias Relacionadas