Hipertensão, fique longe dela! Vida Sim

Atualmente, a hipertensão está entre as maiores causas de morte no mundo, uma vez que ela pode favorecer o surgimento de diversas outras doenças, e não só aquelas que envolvem o sistema circulatório. Vítimas dessa doença crônica estão suscetíveis a sofrer com falhas no coração, nos rins e até no cérebro, além de ser a causadora do infarto do miocárdio.

Estima-se que aproximadamente 20% da população seja portadora da doença. No Brasil os índices não param de crescer e estima-se que um em cada três brasileiros em idade adulta sofre com a pressão arterial elevada. Além disso, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), a pressão alta é responsável por 45% dos ataques cardíacos e 51% dos acidentes vasculares cerebrais.

O que é?

O sangue ao circular por nossas artérias exerce uma pressão sobre suas paredes, denominada de pressão arterial.

Ela segue o ritmo do coração e aumenta a cada batimento e reduz quando o mesmo relaxa. O primeiro movimento é denominado sístole, ou seja, é a contração do músculo cardíaco, assim pressão sistólica refere-se à pressão arterial durante cada batimento do coração. Já o relaxamento do coração entre cada batida recebe o nome de diástole, logo a pressão diastólica é a pressão arterial durante a fase em que o músculo cardíaco está relaxado.

O estreitamento das artérias aumenta a necessidade do coração bombear com mais força para impulsionar o sangue e recebê-lo de volta. Como consequência, a hipertensão dilata o coração e danifica as artérias.

É considerada hipertensa a pessoa que ao medir a pressão arterial em repouso, apresente valores iguais ou acima de 14 por 9 (140mmHgX90mmHg).

Sintomas: A hipertensão arterial só provoca sintomas em fases muito avançadas ou quando a pressão arterial aumenta de forma abrupta e exagerada. Podem ocorrer dores no peito, dor de cabeça, tonturas, fraqueza, visão embaçada e sangramento nasal.

Atenção! Ter a pressão alta não é sinônimo de ser hipertenso, uma vez que estamos sujeitos a variações na frequência cardíaca devido a um esforço físico mais intenso, por exemplo, ou até mesmo momentos de estresse. Para ser considerado hipertenso, o paciente tem de permanecer com a pressão mais alta do que o normal. A doença é crônica, ou seja, não tem cura, mas pode ser controlada. Pequenas atitudes podem evitar o quadro ou ajudar no controle dele, a seguir preparamos dicas para evitar e controlar a hipertensão:


1Verifique a pressão arterial mensalmente:

É recomendável que mesmo aqueles que não sofram da doença meçam sua pressão ao menos uma vez por ano. A recomendação é feita pela Sociedade Brasileira de Hipertensão. O ideal é que ela esteja abaixo de 120×80, sendo maior do que isso considerado de risco. Para tanto você deve seguir algumas indicações:

-Repouse 15 minutos antes;
-Caso tenha fumado, espere 30 minutos;
-Não fale durante o procedimento;
-Permaneça sentado ou deitado;
-Esvazie a bexiga;
-Caso tenha feito exercícios físicos, aguarde 30 minutos;
-Não beba café pelo menos 20 minutos antes da medição.


2Atenção para seu histórico familiar:

Mais de 80% das pessoas com hipertensão possui histórico familiar da doença segundo o estatuto realizado pela Secretaria de Saúde São Paulo. É importante verificar se existem casos de incidência da doença na família, para assim manter os bons hábitos desde cedo e se prevenir.


3Manutenção do peso ideal:

Quando estamos acima do peso, o coração precisa se esforçar mais para bombear sangue em direção aos demais órgãos, exigindo demais do músculo cardíaco. A elevada quantidade de gordura colabora para o aumento da pressão arterial.

Desse modo, diminuir o excesso de peso é excelente para evitar riscos à saúde. Pessoas com circunferência acima do recomendado usualmente apresentam resistência à insulina. Desse modo, o organismo para manter os níveis de glicose no sangue normal, produz insulina em excesso, o que contribui para elevar a pressão arterial. Admite-se como normal a circunferência abdominal máxima de 88 centímetros para as mulheres e 102 para os homens.


4Mantenha uma alimentação saudável:

Inclua muitas frutas, verduras e legumes no seu cardápio, e evite o excesso de sal e gorduras saturadas. Vale ressaltar que não é preciso cortar a carne, mas prefira cortes magros, ou seja, com menos gordura.


5Reduza o sal:

A recomendação é acrescentar apenas três gramas de sal as nossas refeições por dia. O uso excessivo de sal leva ao aumento de sódio na pressão sanguínea, o que vai reter o líquido presente no sangue, aumentando a produção de líquido pelo organismo e consequentemente elevando a pressão arterial. Opte por temperos naturais nas refeições como ervas e azeite de oliva.


6Reduza o consumo de bebidas alcoólicas:

É necessário que se consuma bebidas alcoólicas de maneira moderada, pois assim ela não é prejudicial para a pressão arterial. Já o consumo excessivo de doses compromete todo o organismo, inclusive a pressão arterial.


7Cigarro:

Para aqueles que querem se manter longe dos riscos da hipertensão, o ideal é manter-se afastado cigarro. O fumo é um dos principais fatores de risco para a doença arterial coronariana, uma vez que as substâncias tóxicas do cigarro provocam o enrijecimento das artérias, o que compromete o fluxo sanguíneo e faz a pressão subir.


8Pratique atividades físicas:

Atenção! Antes de começar qualquer tipo de atividade física é recomendada a procura de um médico para uma avaliação geral. Pessoas sedentárias têm cinco vezes mais chance de desenvolver hipertensão arterial do que indivíduos fisicamente ativos.

Por isso, pratique exercícios regularmente, isso irá contribuir para o controle dos níveis da pressão arterial e melhorar o condicionamento físico do coração, não deixando que ele fique sobrecarregado. A atividade física facilita a circulação sanguínea, melhora a oxigenação e consequentemente colabora para a redução da pressão alta.


9Estresse:

Isoladamente ele não é capaz de causar a hipertensão, mas quando combinado com outros fatores de risco pode agravar o quadro. Controle suas emoções e inclua atividades relaxantes em sua rotina.


10Exames médicos e medicação:

É de extrema importância fazer visitas regulares ao médico. Isso ajuda a identificar o problema no começo e consequentemente tratá-lo de forma adequada, e servem ainda para adequar o uso de medicamentos de forma mais eficaz.

Mas lembre-se, jamais se automedique. Os remédios de hipertensão devem ser prescritos após uma série de exames.


Veja outras opiniões, conte a sua também:


Veja também:


Matérias Relacionadas