Cuidado com os falsos produtos orgânicos Vida Sim

Não é de hoje que várias empresas têm utilizado temas como a sustentabilidade, para impulsionar a venda dos produtos.

Com o aumento da preocupação dos consumidores em adquirir produtos ecologicamente corretos, as empresas estão alterando os rótulos, e até falsificando selos e certificações, para atrair maior atenção do público na hora da compra. Um exemplo é o achocolatado orgânico da Native, que estampou o selo “aço reciclável’ na embalagem de maneira desnecessária, visto que todo aço é reciclável.

Outros produtos analisados pela Proteste (ed. Nº 122) não apresentam nenhuma diferença das versões convencionais para a ecológica, somente o aumento do preço cobrado e a informação de que o produto é “100% ecológico”, sem maiores informações da composição. Em alguns casos, a embalagem orgânica apresentou exatamente o mesmo produto que sua versão convencional.

Listamos algumas das técnicas mais utilizadas pelas empresas para enganar os consumidores:

1 – Falta de comprovação

Algumas das empresas que dizem fazer muito pelo ambiente, no entanto, não conseguem comprovar o que fazem. Muitas delas aproveitam da desatenção do público e não especificam nenhuma informação em seu site, como comprovações e certificações de órgãos competentes.

2 – Custo ambiental

Para a certificação de produto “ecologicamente correto”, devem ser analisadas todas as etapas do processo de fabricação e impactos ambientais causados pelo uso. Empresas tentam induzir clientes a apenas considerarem que o produto é “verde” somente pelas suas características.

3 – Falsos rótulos

Os rótulos de diversas marcas utilizaram imagens e palavras apelativas para desviar a atenção do consumidor e induzir a venda, sem qualquer registro de certificações emitidas.

4 – Confusão

Algumas embalagens apenas informam “Produto 100% natural”. Sabemos que o mercúrio, arsênio e o urânio, que, apesar de venenosos e extremamente prejudiciais a saúde, são elementos naturais. Ou seja, os produtos 100% naturais não são necessariamente produtos “verdes”.

5 – Omissão

Outra artimanha utilizada para enganar os consumidores é distraí-los com o apelo de sustentabilidade para omitir os impactos que o consumo pode gerar. Ao invés de
encorajar os consumidores a mudança de hábitos, apenas criam versões orgânicas de produtos prejudiciais, como é o exemplo do cigarro orgânico.

6 – Irrelevância nas informações

Informações como alumínio reciclável, aço reciclável, e outras totalmente redundantes, são formas muito usadas para as empresas ganharem a simpatia do público a partir da embalagem dos produtos.

7 – Mentira

Declarações ambientais falsas, através de certificações e selos estampados na embalagem, são práticas muito comuns em produtos encontrados no mercado.


Veja outras opiniões, conte a sua também:


Veja também:


Matérias Relacionadas