Conheça alguns dos sinais do hipertireoidismo Vida Sim

Pertencente ao sistema endócrino, a glândula tireoide é a responsável pela produção de dois hormônios essenciais para a estimulação do metabolismo, o T4 (tiroxina) e o T3 (triioditironina). Mas quando existe excesso na produção dos mesmos em um período curto ou longo de tempo, a glândula se torna hiperativa, desencadeando o chamado hipertireoidismo.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) referentes ao ano de 2010 mostram que 15% da população sofre com problemas decorrentes da tireoide, entre eles, o hipertireoidismo. Diversas doenças e distúrbios podem contribuir para esse problema, como por exemplo, a ingestão excessiva de iodo, tumores nos testículos ou ovários, tumores não cancerígenos da tireoide ou da glândula pituitária, inflamação da tireoide em virtude de infecções virais, entre outros.

Como já foi mencionado, o hipertireoidismo pode decorrer a partir de determinadas doenças, assim como também a herança genética contribui para o desenvolvimento do mesmo. Aqueles que possuem parentes com a doença possuem maiores chances de desenvolvê-la. Neste caso, o ideal é entrar em contato o quanto o antes com um especialista(médico endocrinologista) para que ele possa lhe orientar a fim de tomar as medidas necessárias.

Entre os principais sintomas podemos citar:

- Bócio;
- Insônia;
- Diarreia;
- Tremores;
- Taquicardia;
- Olhos saltados;
- Variações do humor;
- Aumento do apetite;
- Intolerância ao calor;
- Sudorese abundante;
- Irritabilidade e ansiedade;
- Fadiga e fraqueza muscular;
- Hiperativação do metabolismo;
- Aumento da frequência cardíaca;
- Perda de peso sem razão aparente;
- Comprometimento da capacidade de tomar decisões equilibradas.

Vale ressaltar que alguns outros sintomas ainda podem ocorrer, dentre eles: pele fria e úmida, desenvolvimento de mamas nos homens, pressão alta, coceira em geral, pulso rápido e irregular, além de náuseas e vômitos.

Para obter a confirmação de hipertireoidismo, é necessária a realização de um exame de sangue, no qual é feita a dosagem do hormônio TSH produzido pela hipófise, e também o T3 e o T4 estimulado pela tireoide, os quais se apresentarão em níveis altos. Caso você já o possua ou esteja em tratamento, é importante monitorar regularmente com o médico os níveis dos hormônios, para assim manter a saúde em dia.

Entre os tratamentos – que serão indicados em virtude da gravidade e dos sintomas, podemos citar: os medicamentos antitireoidianos, que diminuirão a quantidade de hormônios produzida pela tireoide; ingestão de iodo radiativo, capaz de curar o problema, porém resulta na destruição da tireoide, sendo assim necessária a utilização de comprimidos tireoidianos no decorrer da vida, ou remoção cirúrgica, sendo também necessário neste caso a reposição de hormônios.

Vale lembrar que o hipertireoidismo oferece baixo risco de vida e pode ser tratado.


Veja outras opiniões, conte a sua também:


Veja também:


Matérias Relacionadas