A verdade sobre o óleo de canola Vida Sim

De acordo com o que ouvimos por aí, o óleo de canola é fonte de um “coração saudável”. Mas a grande verdade, é que boa parte dos benefícios da canola são influências do marketing para iludir os consumidores.

O óleo de canola é extraído das sementes de uma planta denominada colza, e tornou-se o óleo de cozinha mais popular do mundo. Mas o óleo não é tão novo assim. O óleo de colza é utilizado desde a Revolução Industrial, como um importante componente para a lubrificação de motores de embarcações e motores industriais.

Mas como um óleo industrial foi parar nas cozinhas? A resposta é simples. O processo produtivo do óleo de canola é muito mais barato!

A indústria alimentícia vinha promovendo óleos poli-insaturados, como uma alternativa saudável as gorduras saturadas, responsáveis pelo ” entupimento da artéria “. Mas, pesquisas revelaram que os óleos poli-insaturados, particularmente óleo de milho e óleo de soja, são fortemente associados com inúmeros problemas de saúde inflamatórios, incluindo doenças cardíacas e cânceres.

A solução para essa indústria foi abraçar o uso de óleos monoinsaturados, como o azeite e a canola. Estudos mostraram que o óleo monoinsaturado tem um efeito “melhor” do que os óleos poli-insaturados nos níveis de colesterol e outros parâmetros sanguíneos conhecidos.

A grande verdade do óleo de canola é que não existe nenhuma planta em sua composição, e até o significado de “Canola” (Canada Oil, Low Acid), – em tradução livre, oléo canadense pouco ácido – foi uma jogada de marketing, devido à má conotação da palavra de colza. Hoje, cerca de 90% do óleo de canola produzido no mundo é geneticamente modificado, proveniente de pesquisas e cruzamentos de subespécies de plantas, que foram subsidiadas pelo governo canadense.

Em suma, o óleo de canola é definitivamente algo a ser evitado.


Veja outras opiniões, conte a sua também:


Veja também:


Matérias Relacionadas