Os brasileiros nunca estiveram tão acima do peso Vida Sim

Uma série de fatores fazem com que os brasileiros hoje estejam acima do peso.
Números do IBGE(Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) dizem que 50% dos homens adultos estão com sobrepeso; entre as mulheres, o número é de 48%. Nesse universo são obesos 12,4% dos homens e 16,9% das mulheres.

Na década de 1970, os números eram bem mais baixos. Apenas 18,5% dos homens e 28,7% das mulheres estavam acima do peso, na mesma faixa etária, e também segundo o IBGE. Muito desse fato se faz pela economia brasileira estar mais forte, em 1970 o número de desnutridos era grande, mas a realidade é que atualmente muito dos alimentos que ingerimos estão sobrecarregados de produtos químicos que são inseridos na sua produção, nós quase não ingerimos mais produtos orgânicos.

A carne que consumimos recebe abusivas drogas, dentre as quais fazem parte hormônios e antibióticos que ingerimos indiretamente a partir de seu consumo. A criação industrial intensiva contemporânea está voltada para a produção máxima de cada “unidade” animal por espaço confinado. Por exemplo, antes as galinhas eram abatidas com 14 semanas de idade quando pesavam cerca de 1 kg, mas hoje elas passaram a ser abatidas com sete semanas quando pesavam entre 2 e 3 kg.

Esta eficiência contínua exige grande uso de drogas de crescimento na produção. Essas mesmas substâncias acabam sendo absorvidas pelos consumidores da carne do animal, que ganham sobrepeso.

Além da carne, o alto consumo de gordura trans nos traz além de aumento do peso, um grande risco à nossa saúde. A gordura trans tem origem vegetal, mas sofre uma mudança industrial. Por essa modificação, o corpo humano não consegue absorvê-la.

Ela diminui o colesterol bom e aumenta o ruim. Outra decorrência maléfica é que a substância provoca o acúmulo de gorduras nas paredes dos vasos sanguíneos, um fato para que aconteça um ataque cardíaco ou um AVC (acidente vascular cerebral).

Os adoçantes, diferente do que se pensava, podem desacelerar o metabolismo.
Recente pesquisa da conceituada revista Nature, realizada em voluntários humanos, aponta que adoçantes artificiais alteram o equilíbrio de micróbios intestinais ligados ao metabolismo. Além disso o alto consumo pode causar uma intolerância à glicose por conta das reações das bactérias intestinais à substância. O uso dos adoçantes como emagrecedor acaba causando um efeito contrário nos consumidores.

Uma boa recomendação para quem está querendo diminuir a balança é uma maior ingestão de produtos orgânicos. Especialistas também afirmam que se alimentar de três em três horas ajuda a sempre manter o metabolismo acelerado e reduz a produção da grelina – o hormônio da fome – e faz com que comemos menos na hora das principais refeições. Comer um pouco antes da refeição também ajuda.

Uma pesquisa americana confirma que uma maçã 15 minutos antes da refeição reduz a quantidade de calorias ingeridas. A maçã é especialmente recomendada porque é muito rica em pectina, uma fibra que dificulta a absorção de gordura e açúcares.


Veja outras opiniões, conte a sua também:


Veja também:


Matérias Relacionadas