Problemas comuns na hora de abrir uma franquia Vida Sim

Ao abrir uma franquia, muitos empreendedores colocam na balança se é mais fácil ter em mãos uma empresa já consolidada ou começar seu próprio negócio do zero. Mas saiba que o caminho que pode parecer menos trabalhoso e mais rentável a curto prazo também esconde algumas dores de cabeça que muitos não estão preparados.

Contratos:

É preciso ficar de olho bem aberto nas questões contratuais entre franqueador e franqueado. Jamais faça acordos verbais, tudo deve estar firmado em contrato e esclarecido entre as duas partes.

Ao tornar-se um franqueado, é necessário entregar uma série de documentos para comprovar que você tem capacidade de abrir uma franquia da empresa desejada. Por outro lado, o franqueador te entregará normas sobre os planos de negócios, dados financeiros e administrativos da franquia.

A taxa de franquia deve ser paga ao franqueador no momento em que o contrato é assinado. Analise o COF (circular de oferta de franquia) com a ajuda de um advogado. Nesse documento constam informações como taxas, prazos de franquia, entre dados que são fundamentais para que se evite qualquer tipo de surpresa posteriormente.


Estude o mercado e o capital:

É essencial que você conheça a fundo o tipo de produto e serviço que irá prestar e o público que deseja atingir. Cada franquia possui um modelo de taxas e o tipo de contrato solicitado, por isso pesquise o ambiente econômico com planejamentos e contas, revise os créditos e capital que possui.

Nunca entre num negócio sem capital! A incapacidade financeira pode ser a ruína do seu investimento já que dos primeiros meses até o primeiro ano, o retorno financeiro pode ser abaixo do esperado.

Entrar sem capital é sinônimo de falência, lembre-se que é preciso pagar mensalmente os royalties e investir periodicamente em publicidade, além do valor dos alugueis, impostos, taxas, salário dos funcionários, instalações da nova franquia e demais custos envolvidos no processo operacional.


Problemas na relação franqueador x franqueado:

É papel do franqueador dar suporte e treinamento para o franqueado, fornecendo todas as informações e know-how necessários para a realização das operações do negócio.

Caso isso não ocorra, o franqueador irá sofrer com a falta de padronização da nova franquia. Outros problemas que costumam acontecer estão relacionados com a falta de comunicação e expectativas errôneas entre ambas as partes. Em muitos casos, o franqueado espera um lucro a curto prazo que geralmente não vem, e assim acaba criando dívidas com o franqueador.

Se o franqueado não possui capital, um plano de negócios sólido, escolheu mal o ponto comercial e não mantém um diálogo amplo e aberto, corre o risco não só de rompimentos contratuais devido a conflitos, como se torna alto o risco de inadimplência e falência do negócio.


Veja outras opiniões, conte a sua também:


Veja também:


Matérias Relacionadas