Não basta confiar na Pet Shop, tem que conferir! Vida Sim

Hoje em dia, com a correria e o acúmulo de tarefas, temos, cada vez mais, deixado a cargo das pet shops os cuidados higiênicos de nossos pets (cães e gatos – mais cães que gatos).

Mas é necessário que saibamos exatamente o que exigir e o que esperar de tais “serviços prestados”, afinal oferecer um serviço não significa necessariamente que tal serviço será bem feito. Não vou criticar a qualidade de qualquer serviço, apenas acho que conhecimento é tudo: sabendo o que deve ser feito e como você poderá julgar o serviço prestado, se tal serviço não estiver de acordo você poderá reclamar: afinal esses serviço “vale o quanto custa”.

Assim vamos falar um pouco sobre a higiene dos animais – cães principalmente. Você sabe como conferir se um banho é bem dado? O que deve resultar de uma escovação de dentes? E as unhas, como e quando cortá-las?

Brevemente resumiremos aspectos básicos de tais operações e se podem ou não serem feitas em casa. Isso só você poderá determinar.

1 – Banho:

Esta é a prestação de serviço mais comum e mais utilizada, já que nem sempre temos tempo e equipamento necessário para executá-la em casa. Já que o maior frequentador de pet shop é o cão, temos que considerar o tipo de pelagem e o tamanho do animal.

Como já comentei na coluna, cães são divididos por peso e não por altura. Cães micro chegam até 3 kg, pequenos até 10kg, os médios até 25 kg, os grandes até 45 kg e os gigantes até 90 kg.

Os maiores clientes das pet shops são os micros, pequenos e médios, os mais comuns em cidades e principalmente nos apartamentos. Nesse universo de raças encontramos todos os tipos de pelagem: curta, lisa, dura, longa, extra longa, com sub-pêlo, sem sub-pêlo etc. Cada uma exige um tipo de abordagem e produtos específicos.

Caso você tenha um cão de pêlo longo, mesmo que tosado, você deve exigir um banho adequado ao elo longo. Não aceite shampoos básicos. Seu cão urbano geralmente não é “sujo”: não cava buracos, não rola na terra, assim o banho é apenas higiênico.

Para qualquer pelagem, o bom banho é dado em duas etapas, se não existe um problema dermatológico com indicação veterinária:

1ª Etapa – Etapa da Limpeza:

Deve ser utilizado um shampoo ou sabão de boa qualidade. Em casa, utilize um bom sabão neutro, sem glicerina ou aditivos – próprio para limpeza, pois ele vai retirar o pó, a gordura dos pêlos e a sujeira sob os pés. Exija a limpeza da glândula anal pois nem sempre os banhistas lembram disso.


2ª Etapa – Etapa do Cuidado com a pelagem:

Estando o pêlo e a pelagem limpos, vamos cuidar do cão. Esta é a etapa onde, caso o cão tenha algum problema específico de pele, é a ocasião para aplicar os produtos indicados pelo veterinário: sabonetes de ácido salicílico, de alcatrão, shampoos de peroxi, etc.

Se a pelagem e a pele estão saudáveis, é hora de um bom shampoo anti-pulgas, seguido de condicionador(que deve ser utilizado apenas em cães de pêlo longo, jamais em pêlo curto ou duro).

Tratamentos especiais para cuidados dos pêlos só deve ser aplicados em cães que apresentem pelagem longa – com mais de 5 cm, de outra forma serão ineficazes. Não caia na conversa caso lhe digam o contrário: raça é raça e pêlo longo só com mais de 5 cm.


2 – Limpeza de ouvido:

Este é um serviço que deve ser oferecido junto com o banho, sem cobrança adicional.

Só pode ser cobrado a parte se houver problemas que exijam medicamentos específicos, os quais devem ser fornecidos pelo proprietário. O procedimento de limpeza é simples: uma pinça forrada de algodão com éter ou líquido próprio de limpeza; em determinadas raças procede-se a depilação do canal auditivo externo e aplicam um pó resecante próprio.


3 – Limpeza dos dentes – Escovação:

Não é um procedimento comum mas pode ser pedido. Usa-se uma escova própria que você deve adquirir e levar toda vez. Embora existam produtos próprios, seria melhor consultar o veterinário para que ele indique algo apropriado a seu cão.

Mas a esfregação com a escova toda vez que o cão toma banho irá eliminar em grande parte a formação de tártaro e, consequentemente, o mau hálito.

Cada cão é diferente, em alguns a formação de tártaro é “relâmpago” e em outros não. Escovas de dedo são as mais indicadas apenas para profilaxia.


4 – Corte de unhas:

Consulte sua pet shop e, se possível, assista da primeira vez. Pode ser que você tenha aflição, mas a vida é assim e o corte de unhas de cães é assim mesmo.

Muitos cães latem, choram, lutam contra, mas esse procedimento é essencial. Habitamos casas com pisos lisos e por isso as unhas não gastam. Crescem demais e terminam por danificar as articulações dos dedos caninos, perfuram a perna no caso do quinto dedo e fazem o pé do cão ficar “aberto”, propício a frieiras e ferimentos entre as almofadas.

O quinto dedo é aquele que ocorre na parte inferior da pata (muitas vezes escondido pelos pêlos). Poucos criadores eliminam esse dedo logo após o nascimento. Assim você deve prestar atenção no crescimento dessa unha, pois ela cresce em cunha curva e termina por penetrar a pele da pata se não for cortada periodicamente.

Se seu cão apresenta quinto dedo, lembre sempre ao banhista para cortá-la pois muitas vezes nem eles reparam nisso.


Manter um animal, seja ele qual for, exige muita atenção, afinal não falam nem reclamam. Esteja sempre atento aos serviços prestados pois o combinado não sai caro. Invista na pet shop para economizar no veterinário, afinal a satisfação do cliente é o objetivo primário da prestação de serviço.

Seja um proprietário consciente e amigo de sua pet shop.


Veja outras opiniões, conte a sua também:


Veja também:


Matérias Relacionadas